Tamanho da fonte

13/08/2021 - Editado há 3 meses

SEADRU distribui cartilha para criadores da Feira do Bode com dicas sobre animais saudáveis

Por: Edinaldo Moreno
Foto: Thiago Hipólito

A Secretaria Municipal de Agricultura e Desenvolvimento Rural (SEADRU) continua com as orientações para os criadores/feirantes que comercializam animais na Feira do Bode. O tema desta sexta-feira, 13, trazido pela pasta municipal, é a importância de um bom manejo e cuidados com o filhote.

A equipe da SEADRU distribuiu uma cartilha para os comerciantes com cinco dicas sobre ter animais saudáveis. Os cuidados devem começar antes mesmo do parto. Secretário da Agricultura, Faviano Moreira esclarece que a sustentabilidade da atividade é baseada na condição de animais sãos.

“É a base da criação animal. Se a gente imaginar no rebanho bovino a mãe estando saudável terá uma quantidade de leite que será suficiente para o bezerro crescer saudável e o excedente do leite para ser comercializado. Então, você tendo essa condição de animais sãos você consegue ter a sustentabilidade da atividade”, destacou o titular da pasta.

O primeiro passo da cartilha entregue aos criadores enfatiza o planejamento para uma boa maternidade do animal. A dica é levar o animal para o local mais próximo da casa do tratador, para que o parto possa ser acompanhando quando o animal começar a amojar.

“No meu caso eu faço o seguinte: quando a gente tem uma vaca amojada e próxima do dia de parir já trazemos para perto para ficar observando. Todo animal na hora de parir tem de ter alguém perto para observar. Em algumas vezes o parto é normal e em outras não. Quando o parto não é normal a gente tem de ajudar”, ressaltou o criador Ivanildo Barbosa, que tem rebanho de gado.

O segundo passo é sobre condições do animal parir. Neste caso o parto deve ocorrer em um local calmo e limpo, onde o animal sinta-se seguro e sem aglomeração de pessoas para que não se estresse.

A terceira dica é sobre o correto manejo do recém-nascido. Aqui o criador deve garantir que o animal mame uma boa quantidade de colostro nas primeiras seis horas de vida. Deve ainda realizar a cura do umbigo com iodo 5%, duas vezes por dia durante três dias. Já no caso de criador de suínos, os leitões precisam de uma aplicação de ferro intramuscular até o terceiro dia de vida.

O quarto passo é o suporte à mãe. Vacas no pós-parto são sensíveis a muitas doenças, sendo assim, alimente, mineralize e deixe água à vontade para os animais. Se o animal não expulsar a placenta, a orientação é não puxar. O produtor deve procurar um profissional para que ele oriente a melhor conduta.

O quinto e último passo da cartilha é sobre a preparação para os próximos partos. Uma das dicas é fazer um banco de colostro. Deve também registrar as datas de cobertura ou inseminação e anotar a data de previsão do parto.

“É muito importante a gente participar dessas ações. Gostei muito. Se hoje a gente não souber fazer o manejo não cria. Eu crio ovelhas”, concluiu o agricultor Cosme Marques.



Deixe seu comentário


0 Comentário(s)