Tamanho da fonte

18/07/2021

Parque Municipal tem domingo com ações culturais, ecológicas e de saúde

Por: Thiago Braga
Foto: Célio Duarte/PMM

Neste domingo (18), o Parque Municipal Maurício de Oliveira ofertou aos seus visitantes uma tarde repleta de atividades de saúde, culturais, recreativas e ecológicas. A ação intitulada "UERN no Parque" é uma parceria entre Prefeitura de Mossoró e Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

A ação marcou o encerramento da Semana de Proteção às Florestas que começou na quarta-feira (14) e contou com atividades virtuais e presenciais, respeitando regras de segurança e número limitado de participantes em face da pandemia da Covid-19.

A Semana de Proteção às Florestas trouxe como tema "Vamos florestar e reflorestar a cidade?". Dentre os objetivos: preservação de áreas verdes do município, valorização da nossa fauna e flora e riquezas do bioma Caatinga.

"É muito importante as parcerias institucionais, neste caso com a UERN, porque a sociedade só tenha a ganhar. Essa é só uma das parcerias que estamos firmando. Estamos abrindo as portas do Parque para e com isso a sociedade mossoroense só tem a ganhar", frisou Cleciano Rebouças, diretor de Meio Ambiente e Urbanismo.

Brincadeiras musicais, auriculoterapia, tai chi chuan, apresentação cultural, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, roda de conversa e bioação foram algumas das ações levadas pela universidade  aos usuários do Parque Municipal.

"Trazemos a universidade para o Parque e a comunidade possa receber os nossos serviços e tornar cada vez mais a estrutura viva deste equipamento público. Ainda serve como momento para a sociedade entender a preservação do meio ambiente", enalteceu Fátima Raquel, reitora em exercício da UERN.

A ação contou com diferentes tipos de públicos, reunindo pessoas de diversas faixas etárias. "Essa ação traz a importância de valorizar esses ambientes abertos, esse espaço de conservação ambiental, ter esse momento de atividades em que a família toda possa participar, e meio ao contexto de proteção às florestas", comentou a bióloga Fabiana Medeiros.

“Aqui estamos expondo um pouco do Projeto Cetáceos da Costa Branca, onde realizamos o processamento dos esqueletos dos animais encontrados mortos nas praias. Através dos ossos, conseguimos fazer pesquisas, identificar a idade do animal, por exemplo”, explicou Rysonely Maclay, bióloga.

A auxiliar de escritório Luana Renata aproveitou a ida ao Parque para aliar diversão e lazer com conhecimento por meio da ação deste domingo. “Para nós cidadãos é bem interessante esse momento, pois não costumamos ver uma ação como esta bem cultural, com conhecimento através das exposições. É uma forma de diversão, uma vez que podemos caminhar e ainda adquirir conhecimento”, disse.

 



Deixe seu comentário


0 Comentário(s)