Tamanho da fonte

26/08/2021 - Editado há 3 meses

Ministério da Saúde confirma redução do intervalo entre doses para Pfizer e AstraZeneca

Por: Vilsemar Alves
Foto: Allan Phablo/PMM

O anúncio feito pelo Ministério da Saúde no último dia 25, reduz o intervalo entre a primeira e a segunda doses das vacinas Pfizer e AstraZeneca de 12 para 8 semanas. A redução foi confirmada pelo próprio ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que também no mesmo dia autorizou o uso de doses diferentes no caso de haver falta de vacina. 

"Vamos trazer para o intervalo de 8 semanas. Temos uma quantidade boa de Pfizer e AstraZeneca, mas, se tivermos algum problema com a AstraZeneca, pode ser 12 semanas. Só se tiver um problema, a partir da 12ª semana pode ser usada uma vacina heteróloga, no caso da Pfizer", afirmou o ministro na ocasião.
 

Mossoró

Segunda maior cidade potiguar, Mossoró, assim como os demais municípios do Brasil, vai aguardar a chegada de imunizantes, bem como das normas técnicas do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP/RN), para seguir com a vacinação sob os moldes da determinação anunciada pelo ministro Marcelo Queiroga.

“A vacinação contra a Covid-19 em Mossoró tem alcançado grande êxito, com impacto na redução da ocupação dos leitos clínicos e de UTI no município, bem como da mortalidade. Vamos seguir adotando a estratégia de vacinar as pessoas o mais rápido possível sempre que recebermos as doses”, disse Morgana Dantas, titular da pasta da Saúde municipal.

A secretária lembra que a antecipação tem respaldo em estudos científicos que comprovam a segurança no processo. Ela ressalta o lado positivo da diminuição do intervalo entre as doses das vacinas Pfizer e AstraZeneca: “As pessoas vão poder concluir mais rapidamente o ciclo de imunização e ficarão mais seguras contra o coronavírus”, conclui.

 



Deixe seu comentário


0 Comentário(s)