Tamanho da fonte

30/08/2021 - Editado há 1 mês

Centro de Referência da Mulher encerra ações da campanha Agosto Lilás

Por: Edinaldo Moreno
Foto: Wilson Moreno/PMM

A última ação da campanha Agosto Lilás deste ano aconteceu na manhã desta segunda-feira, 30, na Fazenda São João. A atividade foi realizada durante o Cadastro Único em Ação, que realiza atualização e inserção de novos cadastros das famílias nas zonas rural e urbana de Mossoró.

O órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Juventude (SMDSJ) realizou durante todo o mês de agosto em torno de 30 atividades. Foram palestras de conscientização, lives, colagem de cartazes e entrega de panfletos à população presentes nas instituições, roda de conversa com grupo de mulheres do CRM, entre outras.

“O CRM faz um balanço bastante positivo das ações. A gente conseguiu atingir um público bem diverso. Estivemos em pontos estratégicos da cidade. Conseguimos fazer ações que chegaram à rede de ensino e atingimos adolescentes, professores. Foi um mês bem positivo para o CRM, destacou a psicóloga do CRM, Hilana Farias.

Essas ações atingiram mais de duas mil pessoas, sendo mais de 1,9 mil na live. Já as atividades presenciais atingiram mais de 200 pessoas. A psicóloga enfatizou ainda que essas ações encorajaram diversas mulheres a relatarem situações e a tomarem atitude para superarem esse desafio diário de fugir da violência doméstica.

“Nesses encontros tivemos muitos relatos de superação que nos deixa felizes de mulheres que vinham de uma série de situações de violência e conseguiram se reerguer, se reestruturar. Algumas mulheres relataram que precisavam só de uma ajuda para tomar uma atitude na vida. São falas que nos instigam e mostram o quanto esse tipo de ação consegue atingir o público, consegue inquietar mulheres e desnaturalizar a violência”.

Titular da SMDSJ, Janaína Holanda ressaltou a parceria com outros órgãos durante todo o mês para abordar o tema. Ela destacou também a oportunidade de diversas mulheres se informarem sobre o assunto tão presente em vários lares em todo o país.

“A avaliação que eu faço é muito positiva, principalmente, da parceria com a Patrulha Maria da Penha, CRM (Centro de Referência da Mulher), que acompanharam o Cadastro Único. Foi uma oportunidade de falar diretamente com a população mostrando os caminhos da denúncia e os tipos de violência para a gente fortificar a nossa rede. Realizamos mais de 800 atendimentos do Cadastro Único, do Plantão Social, de informações do CRM, da Patrulha Maria da Penha”, comemorou a parceria.

“Lembramos que as ações são efetivas e realizadas o ano todo. Nossas ações continuam durante todo o ano. O mês de agosto a gente intensificou, mas nossas ações continuam no CRM, nos nossos CRASs, no nosso CREAS e principalmente a parceria importante com a Patrulha Maria da Penha”, lembrou a secretária sobre o tema violência doméstica estar presente durante todo o ano.

“É muito bom escutar essas explicações das meninas. Tem muito homem violento que maltrata a mulher”, resumiu a dona de casa Ângela Maria Fernandes Cavalcante, de 58 anos, que foi à ação do Cadastro Único e recebeu informações da equipe do CRM.

Hilana Farias explica que o canal de denúncia é o 180, que é um disk denúncia nacional, vinculado à Secretaria de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres. “A denúncia pode ser feita independente de estar ocorrendo naquele momento”, conta a psicóloga.

“Eu sei que uma vizinha minha, por ventura, sofre violência psicológica, sei que o marido profere palavrões, retém o dinheiro dela, tira sua liberdade. Posso estar ligando 180 que vai ser distribuído aos órgãos do município onde ela reside. É importante que a população ao fazer denúncia nesse canal nos coloque o maior número de informações possíveis de como chegar a essa mulher. Tem os números da Guarda (153) e o da Polícia Militar (190) que podem ser acionados nos momentos de ocorrência da violência”, lembra Hilana.



Deixe seu comentário


0 Comentário(s)