Tamanho da fonte

20/10/2021 - Editado há 1 mês

Alunos de escolas da zona rural apresentam projetos em feiras de ciências

Por: Maricelio Almeida
Foto: Divulgação (PMM)

Dando sequência à programação das feiras de ciências promovidas pelas escolas da rede municipal de ensino de Mossoró, alunos de unidades instaladas na zona rural apresentaram, ao longo desta quarta-feira (20), 14 projetos científicos. As feiras virtuais foram iniciadas na segunda-feira (18) e seguem até a próxima sexta-feira (22), divididas por três polos.

Nesta quarta (20), foi a vez do polo C, composto pelas escolas Evilásio Leão (Hipólito), Deusdete Cecílio (Mulunguzinho), Maurício de Oliveira (Maísa) e Vereador José Bernardo (Passagem de Pedra), expor os seus trabalhos. Entres os projetos apresentados, está o idealizado pelos alunos da escola Vereador José Bernardo, Andreilson Lima da Fonseca, Rickson José e Pedro Gabriel, denominado “Gerador de Energia”, que tem como objetivo oferecer uma alternativa de geração de energia limpa, através de uma bicicleta e um alternador.

“A ideia é que o projeto seja utilizado, seja viável, porque ele permite a geração de energia limpa para ligar qualquer objeto da casa, transformando energia de 12v em 220v, com a possibilidade de ligar geladeira, televisão, por exemplo. A intenção é também ajudar a comunidade, utilizando essa fonte de energia para reduzir custos no consumo de energia no acionamento, por exemplo, das bombas d'água da comunidade”, explica Andreilson Lima.

O discente comenta a importância da feira para o seu aprendizado. “Aprendemos muito sobre energia elétrica, sobre processos mecânicos. Participar de uma feira como essa é muito importante, não só no desenvolvimento do nosso projeto, mas também acompanhando o trabalho dos colegas. São muitas experiências positivas”, acrescenta o adolescente.

A orientação do trabalho idealizado pelos alunos da escola José Gonçalves coube ao professor Adeilson Mendes, que também orientou outros três projetos. “A feira tem uma importância enorme na vida dos nossos alunos, que estão nessa fase de formação de conhecimento. Percebe-se que os alunos que participam dessas feiras ativamente têm, ao chegarem ao Ensino Médio, uma facilidade bem maior em acompanhar os conteúdos, em participar de outras feiras”, destaca o docente.

Adeilson reforça os benefícios ocasionados pela feira no processo de aprendizagem dos alunos. “É um momento de euforia, de busca pelo conhecimento, de pesquisa, inquietação, questionamentos, e isso faz surgir uma tempestade de ideias na cabeça de cada aluno. As feiras vêm para somar ao processo educacional, à formação dos alunos. Ver o entusiasmo deles é tudo”, finaliza.

No total, serão 81 projetos expostos ao longo da semana. Na terça (19), alunos de sete escolas da zona urbana, que integram o polo A, apresentaram cerca de 30 projetos. O polo é composto pelas Escolas Municipais Dinarte Mariz, José Benjamim, Rotary, Professor Manoel Assis, Celina Guimarães Viana, Raimunda Nogueira do Couto e Colégio Evangélico. Na quinta-feira (21) e sexta-feira (22) as feiras acontecem nas escolas do polo B (Antônio Fagundes, Duarte Filho, Ronald Pinheiro Néo, Francisco de Assis Batista e Marineide Pereira).

Durante a etapa nas escolas, os projetos científicos idealizados pelos alunos são credenciados para apresentação, virtual, na IV Feira de Ciências da Rede Municipal de Ensino de Mossoró (FECIRME), prevista para acontecer em novembro. A feira contempla mais de cinco mil alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e EJA, além de aproximadamente 250 professores.

“A avaliação que fazemos até o momento é muito positiva. Temos bons projetos sendo apresentados, os alunos participando, interagindo. É um grande desafio realizar a feira em formato virtual, mas temos alcançado um resultado satisfatório”, reforça o coordenador da Fecirme, professor Mauro Marciel.



Deixe seu comentário


1 Comentário(s)


  • Lenilton Freire da Silva
    Excelente iniciativa. Temos que motivar as crianças e adolescentes, a desenvolverem projetos, desperarem suas habilidades, para se capacitarem e, no futuro trazer benefícios para sociedade.